Publicado el 17-10-2011 / Edición Nº 15 / Año VI

 

















Responsabilidade Socioambiental como estratégia de comunicação, qual é o limite?
por Visabeli Barros Janaina
UEMG Universidad de Minas Gerais
Visabeli Barros Janaina (17-oct-2011). Responsabilidade Socioambiental como estratégia de comunicação, qual é o limite?.
FISEC-Estrategias - Facultad de Ciencias Sociales de la Universidad Nacional de Lomas de Zamora
Año VI, Número 15, V2, pp.167.184
ISSN 1669- 4015
URL del Documento : https://www.cienciared.com.ar/ra/doc.php?n=1551
URL de la Revista : https://fisec-estrategias.com.ar/
Botn Derecho para Descargar Documento Completo
(PDF)
104028 Bytes

RESUMEN:

Este trabalho faz a reflexão sobre as práticas de comunicação nas ações de responsabilidade socioambiental das empresas e teve como objetivo discutir se estas práticas empreendidas por empresas junto a trabalhadores e comunidades geram transformação ou manutenção do status quo. Como objeto foi feito o estudo de caso da relação de uma corporação multinacional, que tem unidade na cidade de Divinópolis, em Minas Gerais, com seus públicos. O estudo foi feito por meio de entrevistas semi-estruturadas, com o apoio de um gravador de audio para a posterior transcrição e análise do discurso (Mangeneau, 2001). Também foi realizada pesquisa secundária de dados públicos disponíbilizados pela organização em seu site – como relatórios anuais e conteúdos digitais, durante o período de 2007-2009. As análises revelam que a ausência de ação do Estado, a falta de compreensão do papel público de seus representantes e de uma cultura de ação política da sociedade civil brasileira colaboram para que valores corporativos extrapolem os muros das organizações e forjem um novo tipo de cidadania individualista, que movimenta mas não transforma a situação de desigualdade social existente no país. O estreitamento da relação entre empresas e sistemas públicos de educação, como ferramenta de diálogo e fortalecimento de imagem corporativa, foram vistos como uma boa estratégia corporativa para construção de uma boa imagem pública, mas esta relação deve ser problematizada em relação a formação autônoma e cidadã de jovens que, já no ensino básico, passam a dialogar com valores corporativos que os preparam para um tipo de atividade e, ao invés de transformar sua situação, promove a manutenção do staus quo.

PALABRAS CLAVE: Comunicação, responsabilidade socioambiental; hegemonia


Ver Documento Completo

2518 Visitas

Volver 

FISEC-ESTRATEGIAS es la Publicación Académica
editada por el  Capítulo Argentino
con sede en la Facultad de Ciencias Sociales de la UNLZ
ISSN 1669- 4015


Publicado con Lapacho ® Revistas Académicas 2.0